Treino A-B-C-D-E para hipertrofia

0

O treinamento de força, pela complexidade dos fatores envolvidos, necessita de certos cuidados no que se refere aos períodos de treino e de descanso. Um músculo solicitado em um dia da semana, precisa de certo período de recuperação, para que ocorra a supercompensação de maneira satisfatória e dessa forma, a hipertrofia.

Este é um parcelamento usado por pessoas mais experientes, com um tempo de prática de exercícios resistidos razoável e que busquem a hipertrofia através da máxima solicitação muscular para cada grupamento. Por sua amplitude, existem milhares de possibilidade de se organizar um treino desta maneira, mas em todas elas, alguns pontos em comum devem ser levados em consideração.

Aspectos práticos do treino A/B/C/D/E para a hipertrofia

Este parcelamento, é o que permite mais possibilidades de treino, justamente por ter mais treinos. Porém ele apresenta uma questão primordial, que é o dia de descanso. Por ser feito em 5 dias, ou a pessoa treina 5 dias consecutivos, ou ela treina no sábado ou no domingo.

Não que este seja um empecilho, mas muitas pessoas não gostam ou não tem como treinar no final de semana, por isso, tem que analisar se este é o método mais eficaz de parcelamento.

Com tantas possibilidades, ficaria inviável mostrar aqui todas as formas em que se pode treinar com o parcelamento A/B/C/D/E. Desta forma, assim como nos artigos anteriores, irei mostrar um parcelamento comum e depois discutiremos os aspectos mais específicos.

Treino A: Bíceps e Tríceps;

Treino B: Costas e abdominais;

Treino C: Peito e lombar;

Treino D: Coxas , panturrilha e abdominais;

Treino E: Ombros, trapézio e antebraço;

Vamos então analisar um pouco deste treinamento. Veja que ele permite que se trabalhe especificamente grupamentos musculares menores, como é o caso do trapézio, antebraço e panturrilha. Por isso, a intensidade de um treino como este, precisa ser mais elevada, para que o músculo seja exposto a um estímulo que necessite de uma semana para ser totalmente recuperado. Até ai nada de novo, pois os parcelamentos A/B/C e A/B/C/D também são assim.

A questão primordial do parcelamento em A/B/C/D/E é a divisão na semana. Caso a pessoa vá treinar no sábado, por exemplo, pode ter a quarta, entre os treinos C e D livre. Dessa forma, é possível obter uma boa recuperação de ombros, lombar e abdominal, utilizados na estabilização dos movimentos no treino de pernas, costas e peito, principalmente.

O problema surge quando a pessoa faz este treino de segunda a sexta feira, pois não temos nenhum dia de descanso e o treino precisa ser conduzido de uma maneira muito mais planejada e programada, para que não ocorra um over training ou os resultados fiquem estagnados.

Num parcelamento com um treino por semana, assim como nos outros mostrados aqui, o maior problema reside nos músculos secundários, estabilizadores. Isso por que ombros, lombar e abdominal, mesmo que não sejam exercitados de maneira específica, acabam sendo solicitados.

Por isso, ao montar a divisão apresentada acima, usei o treino de ombros no último dia da semana e usei o treino de abdominais junto com costas e pernas (que também solicitam a estabilização abdominal). Neste caso específico dos abdominais, usei ele em dois dias, justamente pela questão do grande número de exercícios que precisam ser feitos. Por exemplo, no dia do treino de costas, pode ser feito um treino para os músculos inferiores e oblíquos e usar o dia do treino de pernas para a porção medial do abdômen.

Com ombros é a mesma coisa, pois a escolha dos exercícios que serão usados especificamente, devem ser pensados de acordo com a solicitação do treino de costas e peito. Tudo isso mostra, que independentemente de quem estiver fazendo, o parcelamento e acompanhamento do treino deve ser feito por um profissional habilitado, pois isto envolve uma série de variáveis que precisam ser administradas por um profissional.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...