O que é Mahamudra?

0

Você já ouviu falar em uma aula que combina lutas marciais, esportes aeróbicos, Crossfit e exercícios de ioga e de calistenia (abdominais, flexões de braço, barras)? Se não, você ainda não conhece a mahamudra, modalidade criada em 2013 pelo atleta paulista Cesar Curti após ele passar sete anos na Ásia.

Mahamudra significa “grande gesto” em sânscrito, idioma indiano, e é tido como meio para o autoconhecimento. Segundo os criadores da modalidade de mesmo nome, as aulas também ajudam a ter saúde espiritual e mental. Somente juntando os três pilares (corpo, mente e espírito) é possível ter qualidade de vida.

Procurada por grupos de pessoas que buscam definição corporal por meio de exercícios diferentes do comum, a técnica é ensinada por oito coaches com corpos ultrassarados no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, além de outros pontos, como São Bernardo do Campo, Salvador e Los Angeles, na Califórnia.

Combinando diversos tipos de exercícios, em uma aula é possível gastar de 700 a 2000 calorias. Dá para imaginar por que ela faz tanto sucesso por aqui – em São Paulo há uma lista de espera para quem deseja participar das aulas, já que a procura é muito grande. Os encontros ocorrem três vezes por semana e cada dia tem um foco diferente: força, resistência ou técnica.

Os resultados estéticos demoram três meses para aparecer, mas em apenas uma semana é possível perceber mudanças no desempenho do atleta durante as aulas, até mesmo de caráter psicológico.

Mahamudra – Exercícios

A Mahamudra se baseia em modalidades como a Yoga , as lutas, o treinamento funcional, ginástica aeróbica e circuitos militares. Tudo isso cria um mix quase que inesgotável de possibilidades de movimentos. Além disso, a Mahamudra trabalha em níveis de desenvolvimento (iniciante, intermediário e avançado).

Tudo isso é trabalhado com a busca pelo controle da mente e do espírito, interagindo nestas 3 áreas. Com isso, muitos exercícios são misturados com técnicas de meditação e mantras.

As aulas do Mahamudra são feitas geralmente em turmas de 25 alunos, em locais públicos (geralmente parques), que tenham áreas verdes.

Da Mahamudra nasceram adaptações de movimentos de outras modalidades, como é o caso do Burppe Kamikaze e outros.

No geral, a Mahamudra é uma modalidade bastante interessante para quem busca mais do que apenas uma prática física, que buscam a integração de fatores relacionados a mente e ao espírito.

Porém, enquanto prática corporal, a Mahamudra apresenta algumas limitações e precisa ser vista com alguns cuidados.

Mahamudra, é indicada para todo mundo?

Saindo um pouco do campo da filosofia de vida que a Mahamudra preconiza, vou me ater a questão dos movimentos e práticas corporais da modalidade. Por sua base ser muito fortemente baseada na Yoga, a modalidade chega até mesmo a ser confundida em certos momentos.

Por isso, foram incrementados movimentos mais intensos, para que fosse possível separar o que é Mahamudra do que é Yoga.

Mas vamos avaliar agora a questão das práticas corporais.

De maneira geral, a Mahamudra é uma modalidade de treinamento generalista, que não tem especialidade pré-definida e não foca em um só objetivo. Com isso, ela traz melhora do condicionamento geral.

Isso é bastante interessante para alguns públicos, já que neste contexto, conseguimos uma melhore geral de diversos aspectos.

Mas como nem tudo são flores, existem alguns fatores que precisam ser levados em conta. O primeiro deles é que como falei neste artigo (Limitações da ginástica coletiva (6 principais fatores), todas as aulas que são ministradas para “turmas”, tem certas limitações, seja nas questões da individualidade biológica, seja em questões ligadas a progressão dos treinamentos. Isso fica evidenciado na diferenciação de apenas 3 níveis de desempenho (sendo que é muito subjetivo as questões ligadas a intermediários e avançados).

Com isso, não apenas os resultados acabam ficando limitados, como em alguns casos, pode-se agravar algumas situações específicas. Alguém com lesões que limitem os movimentos, podem ter isto agravado.

Além disso, pelos princípios da especificidade e da sobrecarga, o método tem limitações em alguns casos. Além disso, sempre é fundamental ter um profissional devidamente registrado no CREF ministrando as aulas. Não faça se ele não tiver este registro.

No geral, a Mahamudra é uma prática interessante, mas para os públicos certos. Ela pode ser muito benéfica para quem busca uma redução do stress e melhora da qualidade de vida. Já para quem busca mais resultados estéticos, talvez seja melhor buscar outra modalidade mais específica. Bons treinos!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...