Ingá

Nome popular: ingá-da-praia; ingá-verdadeiro.
Nome científico: Ínga edulis Mart.
Família botânica: Leguminosae – Mimosoideae.

Ingá se originou do termo tupi in-gá. De acordo com alguns, ingá significa embebido, empapado, ensopado, devido talvez à consistência da polpa aquosa que envolve as sementes. O ingá é um fruto encontrado em margens de rios e lagos. O nome ingá é de origem indígena, que significa “embebido, empapado, ensopado”, devido o aspecto aquoso que envolve as sementes.
São conhecidas cerca de 300 espécies do gênero, todas produzem frutos em vagens, que podem atingir pouco mais de 1 metro de comprimento, dependendo da espécie, mas em geral grande parte das espécies possuem frutos com até cerca de 10 a 30 cm de comprimento. A polpa do ingá é branca, levemente fibrosa e adocicada, rica em sais minerais, e é consumida ao natural. Frutifica quase o ano todo.  Também é usada na medicina caseira, sendo útil no tratamento da bronquite (xarope) e como cicatrizante (chá).

A árvore pode chegar a uma altura de 15 metros, é muito utilizada para sombreamento dos cafezais. A planta prefere solos arenosos perto de rios. Com flores de coloração brancas esverdeadas. Existem várias espécies, que se diferenciam pelo tamanho do fruto, outras pelo tamanho e tipo dos nectários foliares, porém, quase sempre, se utiliza vária características morfológicas para diferenciar as espécies, tarefa que nem sempre é fácil.

Contém: caloria, glicídios, proteínas, lipídios, carboidratos, proteína, ferro, vitaminas A, B1, B2, C e Niacina.
A árvore pode chegar a uma altura de 15 metros, é muito utilizada para sombreamento dos cafezais. A planta prefere solos arenosos perto de rios. Com flores de coloração branco-esverdeada, a ingazeira frutifica praticamente em todo o ano.