7 Investimentos de Curto Prazo Seguros

Investimentos de 3 a 12 Meses

7 investimentos de curto prazo
0

É possível aplicar em bons investimentos de curto prazo com prazo de aplicação inferior a 12 meses.

A essência deles é a agilidade e a simplicidade. Ou seja, o resgate deve acontecer com rapidez (liquidez).

O ativo de curto prazo pode ser parte da carteira de qualquer investidor, tanto iniciantes como mais experientes e com maior patrimônio.

No entanto, é preciso conhecer bem os ativos para fazer as escolhas certas e manter uma carteira diversificada.

Mas afinal, quais são os melhores investimentos de curto prazo? Bom, isso depende do tamanho e do objetivo da sua aplicação.

Se o seu capital é pequeno, talvez o que é bom para você não seja para alguém com mais recursos.

É preciso analisar cada situação individualmente.

Para responder essa questão de uma vez por todas, preparamos esse artigo com dicas e exemplos práticos para que você descubra os melhores investimentos de curto prazo.

Quem Deve Optar Por Investimentos de Curto Prazo?

Pensar a curto prazo é muito importante, todo planejamento começa pelo agora.

Investimentos de curto prazo tendem a ter a melhor relação entre liquidez e rentabilidade possível.

Um investidor cauteloso pode ter uma reserva para curto prazo com ativos desse tipo.

É o que chamamos de reserva de emergência. O seu volume deve ser o suficiente para sustentar o seu custo de vida por pelo menos 6 meses. Esse valor deve ser alocado em investimentos de curto prazo.

Assim, caso surpresas ocorram e as suas necessidades mudem, você não fica com todo o seu capital imobilizado em papéis com mais de dois anos.

Isso acontece em diversas situações comuns, como a chegada de um filho, dívida surpresa ou, então, problemas profissionais.

Não existe estabilidade e por isso você deve estar preparado!

Quando é Melhor Optar Pelo Investimento de Longo Prazo

O investimento a médio e longo prazo, isto é, para mais de 1 ano, deve ser realizado quando o investidor possuir o fundo de emergência citado anteriormente.

Curto prazo para a tranquilidade de hoje. Longo prazo para a tranquilidade do futuro.

O primeiro passo é identificar o seu gosto ao risco e calcular uma alocação ou proporção de classes de ativos que o deixa confortável. Temos um guia completo sobre diversificação de carteira que vai ajudar você a fazer isso.

Por exemplo, você já investiu R$ 25 mil em renda fixa a curto prazo, garantindo um fundo com liquidez imediata caso precise do dinheiro.

Já que a sua vida está bem tranquila, você pode fazer aportes com melhor rentabilidade a longo prazo.

Nesse caso, pode-se apostar na diversificação com COEs (certificados de operações estruturadas), LCIs de longo prazo e em ações. Assim, você começará a construir um bom patrimônio que crescerá com consistência e segurança.

Quais São 7 os Melhores Investimentos de Curto Prazo em 2019

O melhor investimento é o que se encaixa nos seus objetivos. Veja nossas recomendações.

Chegou a hora de saber quais são os melhores investimentos de curto prazo para você.

O ideal é que os investimentos de renda fixa para curto prazo sejam pós-fixados. Para estarem dentro de uma zona segura, devem ter um retorno bruto em torno de 100% do CDI.

É comum que essa rentabilidade seja menor em títulos onde não há desconto de imposto de renda, mas o percentual líquido tende a ser parecido.

1. LCI

A Letras de Crédito Imobiliário possuem isenção de IR. É possível encontrar papéis que servem para objetivos de investimentos de curto prazo (180 a 365 dias). Com esse período, o ativo deve render entre 89% e 91% do CDI.

Com o CDI se mantendo numa média de 6,40% ao ano (22/4/2019), espera-se uma rentabilidade por volta de 0,47% ao mês, pelo menos. É uma boa rentabilidade levando em consideração o período, e ultrapassa o rendimento da poupança, por exemplo.

O resgate pode ocorrer depois de 180 dias, dependendo do contrato realizado no momento da compra.

2. LCA

Da mesma forma que as LCIs, as Letras de Crédito o Agronegócio também são isentas de Imposto de Renda.

Ela é um título de renda fixa emitido pelos bancos. Sua data de vencimento e taxa de rentabilidade são definidos no ato da compra.

Uma LCA tem aporte mínimo e prazo de aplicação maiores do que a LCI. Ou seja, você também pode investir nessa opção pensando num prazo um pouco maior.

3. CDB

O Certificado de Depósito Bancário, CDB, consiste no ato de emprestar dinheiro aos bancos. Ele tende a ter melhor rentabilidade, acima de 100% do CDI, a curto prazo quando emitido por bancos médios e pequenos.

O CDB pode possuir uma carência para resgate que deve ser respeitada para obter o máximo de rentabilidade possível. Mas também existem alguns CDBs que possuem liquidez diária.

Fique atento ao tipo de produto de investimento que está comprando e fuja dos bancos de varejo se você quer mais rentabilidade nas aplicações!

4. Tesouro Selic – Letras Financeiras do Tesouro (LFT)

O Tesouro é um título público garantido pelo Tesouro Nacional. É a opção mais segura para curto prazo.

Afinal, caso os emissores de outros ativos como letras de crédito ou CDBs quebrem, será necessário aguardar para receber o seu saldo do FGC e isso pode demorar e atrasar os seus planos.

Por isso, o Tesouro Selic é o mais recomendado para quem não quer dar nenhuma chance ao azar.

O rendimento é muito bom levando em conta o seu curto prazo, mesmo com a Taxa Selic em queda, e desconto de IR.

Além disso, o Tesouro Selic pode ser resgatado a qualquer momento sem tributação de IOF a partir do 30º dia.

5. Fundos de Curto Prazo

Para 2019, este tipo de investimento está em alta. Afinal, a Selic está em sua mínima histórica, e os fundos têm mais liberdade para buscar mais lucro.

Normalmente, os fundos de curto prazo acompanham as variações das taxas de juros com exclusividade de investimentos em títulos privados de baixo risco ou de títulos público prefixados.

A rentabilidade desse tipo de fundo costuma variar em relação ao CDI ou à Selic.

Eles são de baixo risco, o que faz com que sejam considerados investimentos conservadores.

6. Fundos DI

Nos Fundos Referenciados DI, o gestor do fundo deve investir no mínimo 95% do montante em Títulos Públicos atrelados à Selic, em sua maior parte, em Tesouro Selic (LFT) ou em títulos privados de baixo risco.

O restante do patrimônio pode ser alocado em papéis com as mesmas regras dos fundos de curto prazo. Ele possui uma taxa de administração que pode começar em 0% ao ano e pode chegar até 3,5%.

Recomenda-se fundos com no máximo 0,5% de taxa. Com essa dedução, eles podem ter um rendimento de até 102% do CDI. Esses investimentos de curto prazo permitem o resgate em qualquer data sem perda dos juros.

7. Fundos multimercado

Se estiver disposto a arriscar um pouco mais no curto prazo, é possível aplicar em fundos multimercados. Esse tipo de fundo aplica o seu dinheiro em diferentes segmentos como a bolsa de valores, câmbio, renda fixa e etc.

Existem ótimas opções na Rico. É importante que você que fique atento e escolha fundos com prazo de liquidação D+1, ou seja, que o dinheiro aplicado seja revertido para sua conta em um dia útil.

Caso opte por outros fundos, lembre-se de considerar esse tempo de resgate nos seus planos.

Como Funcionam as Aplicações Financeiras de Curto Prazo

Elas devem possuir liquidez e uma rentabilidade em torno de 89% e 100% do CDI.

Esses investimentos de curto prazo funcionam de acordo com os conceitos básicos de risco e retorno.

Se o seu perfil de investidor admitir um pouco de risco, recomenda-se os ativos com ratings menores ou até mesmo investimentos sem a cobertura do FGC, se você estiver disposto a correr mais riscos.

A dica é: pese todos os riscos e possibilidade de retorno rápido para fazer um negócio que não o deixe desconfortável durante o período.

Arriscar pode trazer uma maior rentabilidade.
Se você realmente não precisa do dinheiro no final do prazo, arriscar pode ser uma boa alternativa para garantir uma melhor rentabilidade.
Veja os fatores que melhoram a rentabilidade do um ativo de renda fixa:

Período de aplicação maior

  • Menor liquidez
  • Volume de aporte maior
  • Mais risco envolvido
  • Custos de operação baixos

Nem sempre será possível contar com todos os fatores, então, a sua rentabilidade não será tão boa quanto a de ativos de médio e longo prazo que podem ou não envolver mais riscos e capital.

Assim, grande liquidez, segurança e custos de operação baixos (taxas e tributos) são as principais características de bons investimentos de curto prazo.

O custo é importante e você encontrará isenção de IR e rentabilidade de pelo menos 90% do CDI em LCIs e LCAs de bancos médios.

Caso não saiba, a maioria dos ativos de renda fixa obedecem à tabela regressiva que tributa 22,5% da sua rentabilidade se resgatar o capital até o 6º mês de aplicação e 20% até 1 ano. É uma boa saída escolher ativos que driblam esse tributo que diminui a sua rentabilidade.

Claro que existem outros bons produtos de investimentos de curto prazo com tributação, mas eles só valem a pena quando sua rentabilidade supera o tributo.

Nesses casos, é preciso calcular a diferença. É o que ocorre com os CDBs. Se tiverem um retorno mínimo de 100% da CDI, valem a pena.

O processo de compra é muito simples. Basta criar uma conta na Rico em poucos minutos, transferir o dinheiro para a sua conta corrente na corretora, selecionar o ativo e dar a ordem de compra.

Como Investir no Curto Prazo

O tempo de investimento vai depender dos seus objetivos.

Para investir de forma lucrativa no curto prazo, é importante entender quais são os seus objetivos financeiros. Pois um investimento pode ser muito bom para o médio prazo, por exemplo, e péssimo para o curto prazo.

Além disso, uma aplicação pode ser ótima para quem tem 10 mil reais e muito ruim para quem tem 50 mil.

Então, você precisa avaliar o cenário de cada uma das opções.

Esse é o caso do Tesouro Direto.

Se você mantiver o seu dinheiro investido até a data do vencimento, você vai receber todo o valor que foi prometido.

Mas normalmente não existem títulos com datas de vencimento muito próximas. O título que está mais próximo de vencer é o Tesouro Prefixado 2022.

Então, se você investir hoje e precisar realizar o resgate em um curto prazo, você vai precisar vender o seu título antes do vencimento. Ou seja, você pode acabar perdendo dinheiro em um momento de baixa.

No entanto, é 100% garantido que com o Tesouro Selic é possível encerrar a posição sem perdas de lucros.

Ele é atrelado à Taxa Selic, o que lhe confere uma rentabilidade diária e o Governo garante a recompra a qualquer momento. Leva apenas 1 dia útil para esse dinheiro cair na sua conta na corretora.

Planejamento

Ao se decidir por investimentos de curto prazo, você precisa saber a quantidade de dinheiro que você pode aplicar e por quanto tempo.

Isso é muito importante, pois vários investimentos possuem um prazo de carência. Ou seja, você não pode resgatar o seu dinheiro antes de determinada data.

Se você quiser investir em um CDB, por exemplo, saiba que ele pode ter uma carência de 3 meses ou mais.

A poupança pode ser resgatada a qualquer instante. Porém, seus rendimentos só aparecem na sua conta a cada 30 dias, além de ser o pior destino possível para o seu investimento.

Então, crie uma planilha e anote algumas informações importantes, como:

  • qual é a sua renda mensal
  • quanto você gasta por mês
  • quais são custos e entradas inesperadas que podem ocorrer nos próximos meses

Após isso, você precisa decidir de quanto tempo será a sua aplicação para escolher a melhor para o seu perfil.

Retorno em três meses

Se o seu objetivo é realizar investimentos de curto prazo, uma ótima opção são CDBs, LCIs e LCAs que possuem prazos menores tanto de vencimento quanto de carência.

Preste bastante atenção para não investir em um título que tenha um prazo de carência que ultrapasse os 3 meses e um vencimento muito longo.

Você também pode investir uma porcentagem do seu capital em um fundo DI que possua liquidez diária. Assim, você estará se prevenindo ao criar uma reserva de emergência para resgatar a qualquer momento.

Investindo em CDBs você vai pagar a alíquota do Imposto de Renda. Já nas LCAs e LCIs, você está isento dessa taxa.

Retorno em seis meses
Se você deseja lucrar em 6 meses, saiba que existem mais ofertas de títulos de CDBs, LCAs e LCIs.

Então, avalie as opções de retorno e prazo de carência.

Também é interessante investir uma parte do seu dinheiro no Tesouro Selic, já que eles acompanham os juros básicos.

Lembre-se: CDBs e títulos do Tesouro Direto que são resgatados em até 180 dias, pagam 22,5% de Imposto de Renda.

Retorno em um ano

Ao investir com um prazo maior (de 1 ano), a alíquota do Imposto de Renda cai para 17,5%. Com isso, o retorno esperado em um investimento no Tesouro Direto e em CDBs é maior.

Em 12 meses, um título CDB pode ser mais vantajoso do que LCAs e LCIs em alguns casos.

E mais uma vez, não esqueça de investir em um fundo DI com liquidez diária para resgatar o seu dinheiro a qualquer momento.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...